Fiscais hoteleiros e lojistas registrada neste domingo (4) a presença de 100 mil pessoas comprando produtos variados no Moda Center Santa Cruz, em Santa Cruz do Capibaribe.

Informações publicadas oficialmente por parte de administradores do condomínio, dão conta que a movimentação interna do mesmo é focada em atender demandas natalinas.

Recentemente algumas turistas finlandesas também visitaram o conglomerado logístico.




Uma recente notícia envolvendo o nome da nova primeira-dama norte-americana Melania Trump, ganha repercussão por todo o segmento de mídia, nos Estados Unidos.

Boatos dão conta que empresária esposa do presidente eleito Donald Trump, tem sofrido boicote dos desenhistas de moda sobre a possibilidade de criar os seus figurinos.

O uso de roupas muito refinadas por Melania Trump tem justificado o comportamento de designs. Outro fator que reforça tal impedimento é o posicionamento racista do marido.

Melania Trump agora colhe os "frutos étnicos" plantados no passado por Donald Trump.




Foi confirmado oficialmente o relato de um incêndio florestal ocorrido durante a manhã deste domingo (4), no Sítio Serra do Gavião, em Belo Jardim, Agreste Pernambucano.

De acordo com informações postadas no portal de notícias belo-jardinense Paredão do Povo, as chamas se espalharam repentinamente pelas imediações da propriedade rural.

A reportagem abordou um suposto desinteresse por parte das autoridades locais sobre o fogo, que há dias se aumenta rapidamente. A seca pode ter causado o incidente na área.



FOTO: CINTIA SANCHEZ
Foi com pesar que milhões de brasileiros receberam na manhã deste domingo (4), a notícia da morte do escritor e crítico artístico maranhense Ferreira Gullar, aos 86 anos.

O poeta fundador da corrente neococretisa - que impõe sentimentos às artes; estava internado há dias tratando uma pneumonia decorrente de outros problemas anteriores.

Respeitado mundialmente por suas obras literárias, o ensaísta que também era tradutor é autor de Antologia Poética (1977), Indagações de Hoje (1989); e Formigueiro (1991).

Ferreira Gullar foi declarado em 2014 como imortal, na Academia Brasileira de Letras.